Água


Insumo essencial para os processos produtivos – o que se reflete na segurança e qualidade de alimentos, e no crescimento sustentável dos negócios –, a água e seu consumo são gerenciados de acordo com as melhores práticas e exigências dos diferentes mercados aos quais a Marfrig exporta produtos. Os resultados são reportados nos indicadores de Água, Emissões e Florestas, tanto nos relatórios CDP (Carbon Disclosure Project), como no Relatório Anual de Sustentabilidade

O assunto é conduzido de forma atenta à escassez de água, provocada pelas mudanças climáticas, realidade que tem alterado os padrões de chuvas em diversas regiões do mundo. As áreas de clima tropical têm se deparado com maior frequência a períodos de secas mais severos, o que tem se refletido em situações de escassez hídrica, como a verificada no Brasil em 2014. Naquele ano, o país passou por uma das mais severas secas da história nas regiões Sudeste e centro-oeste, situação que se repetiu em 2018, com menor intensidade, mas suficiente para reduzir significativamente a qualidade da pastagem.

Gestão

O gerenciamento do tema é feito em duas frentes:

 

  • Nas instalações, adotando boas práticas de consumo. A Marfrig trabalha com a meta de reduzir em 30% o índice de retirada de água por tonelada de carne produzida até 2020, com base nos dados de 2013.
  • Na cadeia de valor, engajando os parceiros a também adotarem boas práticas na gestão de água. 

Uso da água nas instalações

Utilizada desde os processos de refrigeração e limpeza, até o contato com a carne produzida, a água tem papel fundamental nas instalações frigoríficas. O protagonismo que exerce faz com que seja gerenciada sob rígido controle de qualidade e da quantidade.

Respeito animal


O gerenciamento do consumo da água nas unidades compreende cinco frentes:

Medição e monitoramento: 100% das unidades operacionais realizam medições do volume de água captada, observando as exigências feitas pelas agências ambientais dos respectivos países. Essa rotina ajuda a identificar melhorias, oportunidades operacionais e gerenciar os custos associados aos produtos químicos utilizados no tratamento da água. Além disso, a medição da captação de água por fonte é importante para avaliar e gerenciar os mananciais disponíveis. Os dados referentes ao consumo passarão a ser auditados em 2020. 

Tratamento: As unidades da Marfrig contam com Estações de Tratamento de Água (ETA), de acordo com o manancial de captação. Isso permite que a água tratada nas unidades seja distribuída de forma a atender aos padrões de potabilidade exigidos pelas legislações de cada país, o que inclui análises de parâmetros físico-químicos na frequência determinada por tais normativos, garantindo que não haja contaminação no processo.

Gestão baseada em riscos hídricos: Para identificar as áreas sensíveis em termos de qualidade ou quantidade de água disponível, as operações globais identificam as unidades expostas a riscos hídricos por meio do AQUEDUCT, ferramenta do WRI (sigla em inglês do Instituto Mundial de Recursos).  

Conheça a situação hídrica dos países em que a Marfrig opera:

Argentina
Brasil
Chile
EUA
Uruguai

Eficiência hídrica:  Para a Marfrig, não basta distribuir água para as operações e garantir a potabilidade. É necessário utilizar o insumo de forma consciente, zelando pelo recurso natural. Assim, todas as unidades adotam medidas para diminuir o consumo de água nas rotinas de trabalho, o que inclui a utilização de equipamentos redutores de vazão instalados nas pias, lavadores de botas e de carcaça, automação na alimentação de equipamentos de grande consumo, entre outras soluções. Também há uma agenda específica para treinamento e conscientização de funcionários. Em áreas que não demandam água com padrão de potabilidade, são adotados projetos para reutilização do insumo.

Metas de consumo: As unidades produtivas possuem metas de redução do consumo de água condizentes com o volume de produção e as características da localidade. As métricas consideram o consumo da água por animal abatido, nas unidades de abate, e o volume de produção nas plantas. 

Uso de água na cadeia de valor

A cadeia de fornecimento é incentivada a adotar as melhores práticas para o uso da água. Para aumentar a eficiência hídrica em toda a cadeia produtiva, a Marfrig está desenvolvendo novas parcerias e programas com os fornecedores, iniciativas que serão reportadas no ciclo 2020 do CDP Water.  Várias práticas são fomentadas por meio do programa Marfrig Club, no pilar “Respeito ambiental”, que abrange esforços de minimizar os impactos da atividade pecuária no meio ambiente.

Os temas vinculados a boas práticas no uso da água são abordados no Guia de Práticas Sustentáveis Marfrig Club. As orientações incluem:

  • Redução no consumo de água na criação dos animais: a Marfrig estimula os produtores a investirem em animais que possuem características genéticas que permitam o abate precoce. Dessa forma, menor será o tempo de criação e, como consequência, haverá menor consumo de água.
  • Uso de água na alimentação dos animais: o abate precoce também leva a uma menor demanda pelo insumo na produção de alimentos voltados aos animais.