Ambientalista Marcelo Furtado é o novo membro do Comitê de Sustentabilidade da Marfrig


Ex-diretor executivo do Greenpeace no Brasil e referência na área do meio ambiente, Furtado contribuirá para a estratégia de sustentabilidade da segunda maior empresa de carne bovina do mundo

São Paulo, 22 de junho de 2020 - Marcelo Furtado, um dos mais reconhecidos profissionais na área de meio ambiente e ex-diretor executivo do Greenpeace no Brasil, é o novo integrante do comitê de sustentabilidade da Marfrig, segunda maior empresa global de carne bovina e maior produtora mundial de hambúrgueres. Engenheiro químico de formação com mestrado em energias renováveis, Furtado é sócio-fundador da ZScore, plataforma de relacionamento que oferece uma solução de rastreabilidade de ativos ambientais utilizando a tecnologia blockchain, e presidente do conselho da World Resources Institute Brasil (WRI), um instituto global de pesquisa que atua em Cidades, Florestas e Clima. Também é membro do conselho da Conectas, ONG focada na questão dos direitos humanos, e do conselho de sustentabilidade da Duratex.

No comitê de sustentabilidade da Marfrig, Furtado se une a Paulo Pianez Júnior, diretor de sustentabilidade da companhia, Roberto Waack, membro do conselho de administração e coordenador do Comitê de Sustentabilidade, Daniela Mariuzzo, Executive Director IDH Brazil e Alain Emile Henri Martinet, membros do conselho de administração. "Para a Marfrig, é um enorme privilégio contar com a experiência e o conhecimento de Marcelo Furtado", diz Marcos Molina dos Santos, fundador e presidente do Conselho de Administração da empresa. “Temos convicção de que ele contribuirá de forma decisiva para reforçar a posição atual da Marfrig como uma referência em termos de sustentabilidade."

Furtado é considerado uma das maiores referências na defesa do meio ambiente no Brasil. Há mais de 30 anos atua como com sustentabilidade e justiça social por meio da inovação e da mobilização pública em torno de causas como clima, energia e uso da terra. De 2008 a 2013, foi diretor-executivo no país de uma das maiores ONGs globais, o Greenpeace, no qual atuou em campanhas de conscientização sobre a importância da preservação das florestas e dos impactos das mudanças climáticas.

É, também, membro fundador da Coalizão Brasil Clima Floresta e Agricultura, fórum multistakeholder com representantes da academia, setor privado e sociedade civil para promover uma economia para o uso do solo sustentável, inclusiva e de baixo carbono. E atuou como diretor-executivo da Alana Foudation, de 2018 a março de 2020, e co-fundador da plataforma Believe.Earth, que fortalece causas de impacto socioambiental.



Voltar