Menu Interno


Consumo é diferente no Natal e Ano Novo


A o menos um tipo de carne especial será oferecido na ceia, no almoço de Natal ou na passagem de ano. Essa é uma das conclusões da pesquisa da Around Research, feita a pedido de Supermercado Moderno. Simplesmente 100% dos participantes afirmam que compram o produto no período. E a versão que mais simboliza o Natal ainda é o peru. É comprado por 86% dos respondentes. A segunda carne mais citada é o tender, por 72% dos pesquisados. As aves especiais - como Chester, da marca Perdigão, e a Ave Fiesta, da Sadia - são adquiridas por 59%.

Para Alécio Castaldelli Jr., gerente operacional da rede Joanin, 15 lojas na região paulista do Grande ABC, o preço inferior faz com que essas aves sejam, muitas vezes, uma alternativa ao peru.
Ê também o baixo valor que explica o sucesso das aves especiais no Nordeste. Na região, elas são alternativa para 88% do público. "Apresentam mais opções de embalagens pequenas e têm uma carne macia, que agrada ao consumidor. Já o peru, por ser maior, atende famílias grandes", afirma Paulo Fernando, diretor comerciai do Walmart Nordeste, com 187 lojas na região.

As carnes suínas aparecem com destaque no Natal, mas no Ano Novo o consumo sobe. Citado por 45% dos consumidores como opção para a ceia, o lombo é mencionado por 55% deles no Ano Novo. Castaldelli Jr., do Joanin, lembra que a passagem de ano é mais informal do que o Natal e permite o consumo de carnes menos tradicionais. Já Antônio Zambelli, diretor de marketing da divisão Seara, da Marfrig, justifica a preferência ressaltando a existência de um público que valoriza produtos pré-assados, que são mais práticos e permitem receber um toque pessoal.

Convém lembrar que nem sempre as carnes concorrem entre si. Ao contrário: a maioria dos consumidores compra mais de um tipo durante as Festas. Segundo a pesquisa Around/SM, 62% levam para casa duas a três peças e 28% acima disso. "Isso acontece porque as Festas reúnem vários familiares e amigos. O levantamento mostra que, em 78% dos casos, mais de cinco pessoas comparecem às ceias", diz Daniela Casabona, coordenadora de pesquisa e atendimento da Around Research. O brasileiro também tem suas marcas preferidas. Sadia é, disparada, a mais consumida: foi citada por 91% dos entrevistados, seguida de Perdigão com 72%. A resposta a essa questão teve múltipla escolha. Para Daniela, Ha Around, a força da marca Sadia se deve à tradição, presença na mídia, boa distribuição e credibilidade alcançada com a extensa linha de produtos'da marca. Já a Perdigão, segundo ela, tem como principal trunfo o Chester, uma das primeiras aves especiais do mercado, que virou sinônimo do produto.

(Revista Supermercado Moderno, Setembro/Outubro)

Voltar