Menu Interno


Empresas brasileiras de olho na Tegel Foods


De acordo com a agência de notícias internacional Bloomberg, um memorando com informações importantes de venda da neozelandesa Tegel Foods foi enviado na última sexta-feira (08/10) e agitou os ânimos de empresas na América do Sul e na Ásia. A empresa pode ser vendida por US$ 750 milhões. A Tegel, responsável por 52% do fornecimento de carnes da Nova Zelândia, com maior atuação no setor avícola, estaria na mira dos principais grupos brasileiros envolvidos com o setor cárneo - JBS, Marfrig e Brasil Foods.

A compra da Tegel Foods por uma empresa brasileira apenas daria continuidade a uma tendência já iniciada em 2009. O Grupo JBS, por exemplo, adquiriu a Pilgrim's Pride, gigante avícola dos EUA, por US$ 800 milhões. Já a Marfrig Alimentos desembolsou US$ 1,3 bilhões para adquirir a Keystone Foods, como parte da estratégia da companhia de se tornar fornecedora das maiores redes de restaurantes dos mundo - como Subway e Mc Donald´s.

Na Ásia, segundo a agência Meat Trade News, há indícios de que a empresa chinesa Bright Food China, ou as cingapurenses Cerebos Pacific e Olam poderiam entrar na disputa pela compra da empresa. A empresa australiana Goodman Fielder também mostrou interesse neste negócio, mas admitiu que pode ter dificuldades para financiar a aquisição.

Vantagens da aquisição - A gestão da Tegel Foods, informa a Meat Trade News, está confiante de que há muitas oportunidades de crescimento para o seu "próximo dono". Uma opção seria aumentar a oferta de produtos cárneos aos supermercados e restaurantes australianos. Outra vantagem, sinalizada pela agência de notícias internacional, é a dinâmica de mercado única da Tegel. A empresa que conseguir a aquisição será capaz de atual em em mercados altamente protegidos. A Nova Zelândia não permite a importação de carne de frango. E a Austrália importa frangos exclusivamente da Nova Zelândia, por razões de segurança alimentar.

(Portal Suinocultura Industrial)


Voltar