Menu Interno


Marfrig realiza primeiro abate de gado neutro em emissão de metano em parceria com a Ecofarms e a Fazenda Triqueda


O lote com dezoito animais da raça Nelore faz parte do Projeto Pecuária Neutra, que surgiu na Fazenda Triqueda e conta com mais 6 pecuaristas de Minas Gerais

São Paulo, 04 de maio de 2016 – A Marfrig realizou, no dia 25 de janeiro, o primeiro abate de gado neutro em emissão de metano em sua unidade de Promissão (SP). O lote com dezoito animais foi criado de acordo com os critérios do Projeto Pecuária Neutra, que teve início com a Fazenda Triqueda, situada no município de Coronel Pacheco (MG), e que posteriormente foi adotado por outras 6 propriedades, incluindo a Ecofarms, localizada no município de Prata (MG).

“Essa iniciativa está alinhada com o pioneirismo da Marfrig em termos de sustentabilidade e a tendência é que cada vez mais os consumidores demandem produtos neutros em emissão de metano como a carne, por exemplo”, destaca Mathias Almeida, gerente de Sustentabilidade da Marfrig.

Resultados
De acordo com a base de dados aceita pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), o Sistema de Integração Pecuária e Floresta com 250 árvores plantadas por hectare é suficiente para compensar o metano entérico emitido pelos animais criados no manejo extensivo, ou seja, o metano proveniente da fermentação durante o processo digestivo.

No caso do primeiro lote com 18 animais abatidos dentro do projeto, a pegada de carbono foi de aproximadamente 73,43 ton de CO2 e as emissões foram compensadas pelo plantio de árvores no Sistema de Integração Pecuária e Floresta ou Sistema Silvipastoril, conforme a tabela a seguir:
 
Estimativas das Emissões dos Animais
Número de animais Peso bruto/Kg Peso médio/Kg
18 9.540 530
     
u.a. Idade média da u.a. Emissão CH4
18 37,00 meses 63 Kg/u.a./ano*
     
Total CH4 emitido/gado Total de Carbono Equivalente  
3,50 ton de CH4 21,00 fator de potencialização**  
  73,43 ton de CO2 Equivalente  

FONTE: IPCC (2009)
*Segundo o IPCC, cada u.a. realiza a emissão de 63 kg de Metano Entérico/ano.
(1 u.a., ou unidade animal, equivale a 1 bovino com peso bruto de 450kg)
**Fator de potencialização para equivalência de 1 ton. Metano em 21 ton. de  CO2.

 
Futuro do Projeto Pecuária Neutra

A partir de agosto de 2016, terá início a primeira fase de abate comercial do Projeto Pecuária Neutra, com uma escala regular de 600 animais/ano das raças Brangus e Nelore. Uma das possibilidades de venda da carne neutra em metano será na Rede de Supermercados Zona Sul, que possui 35 lojas na cidade do Rio de Janeiro.

“O potencial de desenvolvimento que o Brasil possui para a expansão dessa integração posiciona a pecuária brasileira de forma estratégica no cenário global da economia de baixo carbono, pois o país tem a capacidade de preservar o meio ambiente e, ao mesmo tempo, gerar negócios lucrativos. Ou seja, nós somos mais competitivos na economia de baixo carbono do que no atual modelo econômico vigente”, afirma Leonardo Resende, coordenador do projeto.

Segundo Bruno Junqueira de Andrade, proprietário da Ecofarms, o mercado de carne produzida de maneira sustentável irá crescer muito nos próximos anos. ‘’Há uma crescente demanda mundial por produtos rastreados e que respeitem e preservem o meio ambiente. Todos querem saber de onde vem e como foi produzido o alimento que irão consumir’’, destaca Andrade.

“Iniciativas desse tipo são importantes para oferecer ao consumidor opções sustentáveis de proteína animal, que hoje não existem no mercado”, comenta Fortunato Leta, presidente do conselho do Grupo Zona Sul. “A carne neutra em metano está alinhada com os nossos valores, estratégias e incentivo ao desenvolvimento de fornecedores com projetos sustentáveis”, afirma Leta.



Voltar