Menu Interno


Randon e Gafisa são as small caps mais citadas entre as carteiras para setembro.


SÃO PAULO - Com seis votos cada, as ações preferenciais da Randon (RAPT4) e os papéis ordinários da Gafisa (GFSA3) foram as small caps mais citadas pelos analistas entre as 29 carteiras recomendadas de bancos e corretoras para setembro, publicadas pela InfoMoney.

Tendo como base os papéis que compõem o SMLL (índice de small caps da BM&F Bovespa), neste mês a segunda posição no ranking para setembro ficou com Marfrig (MRFG3) e Brookfield (BISA3), somando quatro recomendações cada. Já Light (LIGT3), Cia. Hering (HGTX3) e BR Malls (BRML3) dividiram o terceiro lugar no pódio, com três votos cada.

Além destas, outras 21 small caps foram citadas pelos analistas no período. Cabe mencionar que, segundo a BM&F Bovespa, "as empresas que, em conjunto, representarem 85% do valor de mercado total da bolsa são elegíveis para participarem do índice MLCX (mid large caps). As demais empresas que não estiverem incluídas nesse universo são elegíveis para participarem do índice SMLL (small caps). Não estão incluídas nesse universo empresas emissoras de BDRs (Brazilian Depositary Receipts) e empresas em recuperação judicial ou falência".

As 29 carteiras consideradas este mês, que incluíram bancos e corretoras, foram: BB Investimentos, Souza Barros, Citi Corretora, Brascan, Link Investimentos, XP Investimentos, Socopa, Planner, Omar Camargo, Ágora (3 carteiras), Amaril Franklin, Win, Geração Futuro, Spinelli, Banif, PAX, Itaú Corretora, TOV, SLW (3 carteiras), Coinvalores, Fator, Senso (3 carteiras) e BTG Pactual.

Dentre as carteiras publicadas pela InfoMoney no mês, nesta amostragem só não foram consideradas aquelas direcionadas às ações com perspectivas de ganho com a distribuição de proventos. Ao todo, foram coletadas 274 recomendações entre todos os portfólios compilados para setembro.

Randon
A Randon conta com fortes perspectivas dos analistas, reforçadas depois da divulgação de resultados positivos no segundo trimestre deste ano. A Itaú Corretora atualizou recentemente suas estimativas para o setor de transportes, indústria e logística. A recomendação da Randon foi elevada, com novo preço justo de R$ 14,50 por ação.

Para a analista Renata Faber, a demanda tende a manter-se elevada no mercado doméstico, ao mesmo tempo em que as margens seguem baixas. Assim, o próximo ano pode trazer múltiplos mais baixos e melhores oportunidades de crescimento em médio prazo.

No mesmo sentido, a Ativa Corretora elegeu a Randon como Top Pick para o setor de autopeças, com recomendação de compra aos papéis da companhia. De acordo com o analista Artur Delorme, o preço-alvo da ação foi estimado em R$ 15,95, consideradas as projeções para junho de 2011.

"Esta revisão é justificada pelo forte crescimento da produção de veículos pesados no mercado interno", afirmou Delorme. Os analistas da corretora esperam que a empresa e o setor acompanhem a expansão e modernização da frota de caminhões, impulsionada pela demanda em obras de infraestrutura, construção civil e colheitas de safra agrícola.

Gafisa
Se amparando no bom momento do setor imobiliário brasileiro, as ações da Gafisa também receberam análises positivas recentemente. Em divulgação recente sobre a percepção dos investidores estrangeiros sobre a bolsa brasileira, o banco de investimentos JP Morgan declarou que a Gafisa está entre suas ações preferidas na BM&F Bovespa.

No mesmo sentido, ao incluir a ação GFSA3 em sua carteira Top Five de setembro, a Itaú Corretora ressaltou que mesmo após a forte realização no setor de construção civil em agosto, a tese de investimentos da Gafisa não mudou e ela permanece como a ação mais descontada do setor entre as companhias de grande porte. A corretora calcula um preço justo de para 2011 de R$ 18,30, com recomendação "outperform".

Recomendações
Em sua recomendação, a SLW Corretora ressaltou a recuperação na demanda por ônibus e caminhões no País, fruto da retomada da economia. Atualmente é estimado que a idade média da frota de caminhões no Brasil esteja na faixa de 17 anos, considerado fora dos parâmetros internacionais de utilização e segurança.
"Desta forma, considerando que o País deve ingressar em um ciclo de crescimento forte para os próximos cinco anos, aguardamos que a Randon seja uma das empresas favorecidas por este cenário de crescimento econômico", comentou a SLW.

Em relação à Gafisa, a corretora destacou que o desempenho fraco auferido pelas ações da companhia no mês de agosto (-8,33%) é explicado pela deterioração dos mercados globais, devido às incertezas em relação à recuperação americana e a desaceleração na China. "Mesmo com mercados inseguros, acreditamos que suas ações estão descontadas e podem se recuperar no curto prazo. Se baseando no bom resultado do 1S10 da empresa, nos próximos trimestres a Gafisa também deve apresentar bons números, impulsionada pela forte demanda do setor de construção no mercado interno", completou a SLW.

Outras recomendações
Também foram mencionadas nas carteiras de setembro as seguintes small caps: Anhanguera (AEDU11), Minerva (BEEF3), Bic Banco (BICB4), Confab (CNFB4), Copasa (CSMG3), DASA (DASA3), Fertilizantes Heringer (FHER3), Klabin (KLBN4), OHL Brasil (OHLB3), Marcopolo (POMO4), Positivo (POSI3), Localiza (RENT3), Banco Panamericano (BPNM4), Eletropaulo (ELPL6), Even (EVEN3), EzTec (EZTC3), Lupatech (LUPA3), MMX (MMXM3), Iochpe Maxion (MYPK3), SLC Agrícola (SLCE3) e Unipar (UNIP6).

(Portal Yahoo!, SP)

Voltar