Menu Interno


Vendas ao McDonald's abrem mercados da Ásia à Marfrig.


Para a China, por exemplo, a Marfrig exporta atualmente carne de frango brasileira por meio de um importador local.

Com 40 aquisições desde 2006, a Marfrig Alimentos avançou nos últimos anos sem evitar apostas de risco. A última compra, a da americana Keystone Foods, em junho, foi certamente uma das mais arrojadas. E também a que mais caracteriza a estratégia que a empresa decidiu perseguir.

Com a Keystone, maior fornecedora de processados de carne para o McDonald's no mundo, 30% da receita global da Marfrig virá das operações com a rede americana de fast-food. A forte dependência assusta à primeira vista. Mas a Marfrig aposta nas frentes de oportunidades abertas pela companhia americana.

O plano, explicou ao Valor o presidente da Marfrig, Marcos Molina, é aproveitar as estruturas da Keystone nos 13 países onde ela atua e assim comercializar diretamente o que hoje é feito pela Marfrig por meio de importadores ou distribuidores. "Agora teremos capacidade para fazer o suprimento de carnes aos mercados onde a Keystone tem operações", diz Molina.

Um dos mercados mais cobiçados pela Marfrig é a Ásia, onde a Keystone tem cinco unidades de processamento de carnes na China, Tailândia, Malásia e Coreia, além de centros de distribuição e uma sexta fábrica em construção.

Para a China, por exemplo, a Marfrig exporta atualmente carne de frango brasileira por meio de um importador local. Com a Keystone, poderá vender diretamente e ampliar o número de produtos que exporta, incluindo carne bovina. Também passará a ter atuação direta no Oriente Médio, onde a empresa americana tem centro de distribuição e escritórios de venda.

A Marfrig quer replicar, na Keystone, uma estratégia já usada na Moy Park, do Reino Unido, adquirida em 2008, que visa reduzir o papel de intermediários nas vendas. Antes da aquisição da Moy Park, a Marfrig fornecia "corned beef" (carne industrializada) para um importador, que a vendia para um fatiador, que a revendia para a Tesco. "Agora, vendemos direto", diz Molina, referindo-se à rede de varejo britânica. A intenção também é integrar as redes de distribuição da Moy Park e da Keystone no Reino Unido e na França para reduzir custos, aumentar a utilização e ampliar a escala de produção.

Adquirida por US$ 1,26 bilhão, a Keystone fornece processados de carnes de frango, bovina e de peixe para o McDonald's e empresas como Campbell's, Subway, ConAgra e Yum Brands. Além disso, desenvolve produtos para "food service". A operação ainda aguarda a aprovação dos órgãos antitruste da Europa, mas já recebeu o sinal positivo dos reguladores dos EUA.

(Jornal Valor Econômico, Caderno A/SP)



Voltar