Menu Interno


Capacidade de abate do Marfrig deve atingir 70% este ano.


Companhia prevê a abertura de seis plantas arrendadas no ano passado.
A Marfrig Alimentos atingiu no segundo trimestre o mais elevado nível de utilização de sua capacidade de abate. Foram abatidos 621,4 mil bois, 14,6% mais do que no primeiro trimestre. Consideradas todas as plantas em operação, a utilização de capacidade foi de 61,2%. A meta, segundo James Cruden, diretor de operações, é atingir 70% entre 60 e 90 dias.

O aumento da utilização será possível com a operação de fábricas que ainda estavam fechadas no trimestre passado. Segundo a Marfrig, houve atraso na abertura de seis plantas de abate, arrendadas em 200,9 por conta, entre outras razões, de reforma, adequação e contratação de funcionários.

As plantas têm capacidade de abate 6 mil animais por dia. De acordo com, James Cruden, apesar da oferta apertada de animais para abate, por causa da entressafra "rigorosa", a empresa tem conseguido adquirir gado. "São os níveis mais altos já registrados".

No total, a receita bruta da Marfrig somou R$ 3,77 bilhões no trimestre, 46,6% mais do que em igual período de 2009. Desse total, R$ 2,14 bilhões foram vendas no mercado doméstico. A divisão de bovinos no Brasil e food service teve receita de R$ 1 bilhão, um crescimento de 77,3% sobre o segundo trimestre do ano passado.

(Portal DBO/SP)

Voltar