Menu Interno


Lucro da Marfrig cede 68,5% no trimestre, para R$ 127,4 milhões


A Marfrig reportou lucro de R$ 127,4 milhões no segundo trimestre, 68,5% abaixo do ganho apurado em igual período de 2009 (R$ 405 milhões). No entanto, a companhia lembra que o desempenho do segundo trimestre de 2009 foi influenciado por ganhos de R$ 502,6 milhões decorrentes do impacto da variação cambial sobre o resultado financeiro.

O lucro líquido de abril a junho ficou mais de três vezes acima do saldo dos três meses antecedentes, de R$ 41,7 milhões.

No campo operacional, os resultados foram puxados pelo crescimento de vendas na divisão de bovinos, aliado à entrada das operações da Seara, que teve a aquisição concluída em janeiro.

De abril a junho, a receita líquida da Marfrig somou R$ 3,558 bilhões, superando em 10,4% os R$ 3,222 bilhões dos três meses antecedentes e em 48% as vendas de um ano antes, que foram de R$ 2,404 bilhões.
Na comparação do segundo trimestre com o mesmo período de 2009, o resultado operacional medido pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) subiu 56,1%, chegando a R$ 286,3 milhões (margem de 8%). A cifra, contudo, ficou 29,7% abaixo dos R$ 406,9 milhões registrados no primeiro trimestre.

De acordo com a companhia, a margem foi pressionada pelo aumento das despesas comerciais, principalmente em decorrência do investimento em marketing nas marcas Seara, Paty, Moy Park e Pemmican.

No detalhamento dos negócios, o grupo destacou o desempenho da divisão de bovinos, cujo volume de vendas no mercado brasileiro cresceu 60,7% em um ano, para 142,7 mil toneladas.

No total, o grupo vendeu 826,5 mil toneladas no trimestre, marcando um aumento de 55,2% em relação a um ano antes. O desempenho, no entanto, foi prejudicado por perdas de 261,5 milhões no resultado financeiro, que reverteu o ganho de R$ 371,8 milhões apurado nessa linha no segundo trimestre de 2009.

O balanço também mostra que a dívida líquida da Marfrig cresceu 9% em três meses, chegando a R$ 4,613 bilhões em junho, o equivalente a 3,96 vezes a geração de caixa em um ano.

Em 29 de abril, a empresa concluiu uma emissão de bonds de 10 anos no valor de US$ 500 milhões e com cupom de 9,5% ao ano. A operação visa melhorar o perfil de endividamento do frigorífico.

(Jornal Valor Econômico / Portal UOL)

Voltar