Menu Interno


Grupo Marfrig demite 70 funcionários.


O Grupo Marfrig iniciou a demissão de aproximadamente 70 funcionáros da planta de Mato Leitão, arrendada no segundo semestre do ano passado do antigo Frigorífico Mercosul.Na manhã de ontem, dois representantes da empresa tiveram um encontro com a direção do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Venâncio Aires. Conforme o presidente da entidade, Rogério Borges Siqueira, inicialmente estava prevista a dispensa de 50 pessoas. No segundo momento o número aumentou para 60, mas o total deve chegar perto de 70, conforme relatado pelos representantes da indústria ontem.

O dirigente sindical informou que a empresa alegou a adequação da planta industrial em Mato Leitão, com a desativação do setor de abates, permanecendo como centro de distribuição, por questões logísticas. Conforme Siqueira, a maioria dos funcionários que serão demitidos são moradores de Mato Leitão. Os representantes da empresa informaram que vão começar com aqueles que já manifestaram desejo de afastamento. Alguns empregados deverão ser realocados para outros setores do grupo.

O presidente do sindicato ressalta que a entidade não vai homologar novas rescisões por parte do grupo Marfrig este mês - até por questões técnicas, pois cada processo leva em torno de meia hora para a verificação de todos os dados. Com as demissões, a unidade de Mato Leitão ainda deve permanecer com aproximadamente 300 funcionários, conforme Siqueira. Ele explica que, durante o encontro de ontem, os dirigentes da entidade solicitaram à empresa uma gratificação de acordo com o tempo de serviço dos funcionários, para amenizar o impacto. "O mercado não comporta novas vagas para tantos que saíram de uma vez", observa. Os representantes da Marfrig ficaram de dar o retorno depois de levar o pedido à direção.
O dirigente sindical salienta que não há muitas informações sobre a empresa, pois desde o arrendamento da planta em Mato Leitão foi realizada apenas uma reunião. Lembra que naquele encontro, os representantes do grupo mostraram a disposição de expandir as atividades. "As demissões agora são o oposto do que disseram antes, por isso não se sabe ainda o que vai ocorrer", afirma.

Poucas informações
O prefeito de Mato Leitão, Carlos Bohn, buscou informações sobre a situação na empresa, mas afirma que os dirigentes não liberam muitos dados. Conforme Bohn, pelo que foi possível observar, o grupo irá desativar o setor de abate, com a permanência da desossa e do centro de distribuição no município. "Devem ser ajustes internos", prevê. Observa que demissões sempre são preocupantes, mas cada empresa tem as suas políticas. "Vamos torcer para que seja algo de momento, apenas."

A assessoria de imprensa da empresa, em São Paulo, pretende apresentar hoje a posição da diretoria do grupo, com dados relacionados às mudanças em Mato Leitão. A Marfrig atua na área de alimentos, com atividades nos segmentos de processamento e distribuição de produtos de carnes bovina, suína, ovina e de aves in natura, processados e industrializados para clientes no Brasil e no exterior. Atua também na distribuição de outros produtos alimentícios como batata pré-cozida congelada, legumes, embutidos, pescados, pratos prontos e massas. A base operacional inclui 92 plantas e escritórios na América do Sul, América do Norte, Ásia, África e Europa.

(Jornal Gazeta do Sul, RS/ Portal Gaz)

Voltar