Menu Interno


Fusão pode ser a saída para frigoríficos médios.


O governo avalia socorrer frigoríficos de carne bovina de médio porte debilitados por dificuldades financeiras por causa da crise econômica global. De acordo com o jornal Valor Econômico, ao menos 15 indústrias precisariam da injeção de R$ 2,5 bilhões de capital por meio de uma nova linha de crédito oficial. Algumas dessas empresas já entraram em recuperação judicial e outras ainda buscam saídas para evitar um recurso à Justiça.

Uma solução costurada nos bastidores aponta para a fusão desses frigoríficos em um ou dois grupos que concorreriam com JBS, Marfrig e Brasil Foods. Além disso, qualquer crédito estatal seria "carimbado" para garantir o pagamento das dívidas com pecuaristas,estimadas em R$ 800 milhões, e instituições financeiras, além do capital de giro necessário para tornar viáveis a nova operação.

A ação do governo também obrigaria as empresas a profissionalizar sua gestão. Antes resistentes a ceder o controle de suas empresas, todos os industriais se mostram favoráveis à união patrocinada pelo governo. A fatia dos novos sócios no futuro grupo seria equivalente ao patrimônio e ao endividamento atuais de cada empresa.

A situação financeira dos frigoríficos tem piorado desde a imposição de restrições da União Europeia à venda de carne brasileira, em 2008. Depois, a crise internacional fez secar linhas de crédito antes fartas e baratas. O mau momento pegou as empresas alavancadas, com altos investimentos, margens apertadas e com capital de giro rarefeito. Em 2009, as exportações sofreram um tombo de US$ 1 bilhão. Com planos de crescimento frustrados, as indústrias alegam ter ficado sem condições de quitar as pesadas dívidas e com uma capacidade ociosa que beira 30%. Neste ano, as vendas externas devem estacionar nos mesmos US$ 5 bilhões de 2009.

O assunto foi levado à reunião ministerial com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva por Wagenr Rossi, ministro da Agricultura. De acordo com Rossi, durante uma reunião na quarta feira, 11, com representantes da Abiec, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne, foi solicitada a formulação de uma política específica do governo para socorrer os pequenos e médios frigoríficos. Segundo Rossi, a mesma solicitação foi feita aos ministros do Desenvolvimento e da Fazenda, Guido Mantega, em reuniões anteriores. Dados da situação das empresas e do volume de empregos gerados pelo setor foram solicitados pelo ministério da Fazenda. A expectativa é a de que, até o final da semana, os números sejam apresentados ao governo.

(Portal DBO/SP)


Voltar