Menu Interno


Otimista com emergentes, BofA ML revela preferências entre ações brasileiras


SÃO PAULO - Não é de hoje que o otimismo impera entre analistas sobre a atratividade dos mercados emergentes, sobretudo após a crise financeira, que pesou muito mais sobre as economias desenvolvidas. Em relatório divulgado na última terça-feira (13), a equipe do Bank of America Merrill Lynch não só aposta na tendência como revela estratégias mais detalhadas aos interessados.

Na visão dos analistas Carrie Zhao e Girish Nair, que assinam o relatório, as projeções de crescimento aos países emergentes seguem significativamente mais favoráveis que às que recaem sobre as economias desenvolvidas. De fato, as estimativas do banco de investimentos dão conta de uma expansão média de 6,4% para as economias emergentes nos próximos 12 meses, "mais que o dobro das desenvolvidas".

Crescimento econômico é também crescimento corporativo. Não à toa, as projeções da equipe para os lucros por ação em mercados emergentes também vêm recheadas de bons números. "Consenso indica um avanço de 20% em 2010 e 18% em 2011", afirmam Zhao e Nair.

Paralelamente, as tensões em torno da crise fiscal europeia e da recuperação econômica norte-americana vêm ditando uma sequência de pregões de queda às bolsas, deixando os valuations dos papéis emergentes abaixo de suas médias. "Assim, recomendamos aos investidores que aproveitem esse momento para ajustar suas posições, apostando em uma guinada ascendente", arrisca a dupla.

Sinais positivos
Sinais mistos Sinais negativos

Coréia do Sul

Indonésia

Rússia

Tailândia

Turquia

Brasil

China

Hungria

Malásia

Polônia

África do Sul

Taiwan

Chile

Índia

México

Países e estratégias
Na sequência, o relatório do Bank of America Merrill Lynch revela diversas estratégias distintas para aqueles que, guiados pelas perspectivas favoráveis relevadas anteriormente, desejem apostar em papéis de mercados emergentes.

A equipe traça sete estilos diferentes de alocação, cada um priorizando um aspecto: valor, crescimento, momentum, small caps, qualidade, risco e dividendos. A preferência dos analistas, no entanto, recai sobre os quatro primeiros, que recebem um call "overweight", isto é, peso acima da média.

A dupla de analistas também dividiu os diversos países emergentes analisados em três grupos: os que apresentam sinais positivos, os que mostram sinais negativos e os que vêm dando sinais mistos - o Brasil está neste último, assim como a China, recebendo dessa forma uma recomendação "neutra" por parte do banco de investimentos.

Os papéis
Embora o mercado brasileiro receba o call "neutro", o País emplaca muitos papéis na carteira dos quatro estilos de alocação que recebem a recomendação "overweight" por parte do banco. Confira abaixo as ações que conquistaram presença nos portifólios:

Valor
Código Companhia SANB11 Santander Brasil
MRFG3 Marfrig UGPA4 Ultrapar SUZB5 Suzano Papel e Celulose

Crescimento
Código
Companhia
ITSA4 Itaúsa BRFS3 BR Foods
UGPA4 Ultrapar VALE5 Vale
Momentum
Código
Companhia ITSA4 Itaúsa HYPE3 Hypermarcas OGXP3 OGX Petróleo
DTEX3 Duratex
Small caps

Código Companhia SANB11 Santander Brasil
MRFG3 Marfrig UGPA4 Ultrapar SUZB5 Suzano Papel e Celulose

(Portal InfoMoney)



Voltar