Menu Interno


BNDES volta a investir no Marfrig.


Os recursos vão financiar a compra do grupo americano Keystone Foods e da empresa irlandesa O´Kane Poultry.

O BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social anunciou que está disposto a adquirir 100% da emissão de debêntures, avaliados em R$ 2,5 bilhões, do grupo Marfrig.

Os recursos serão usados para financiar a compra do grupo americano Keystone Foods LLC e da O´Kane Poultry, produtora de carne de aves na Irlanda do Norte. A subscrição deve ser feita por meio da BNDESPar, empresa de participações do banco estatal. Em fevereiro deste ano, quando o JBS Friboi concluiu a oferta de debêntures para viabilizar a compra da americana Pilgrim´s Pride, o Banco de fomento cumpriu a garantia dada meses antes e participou com R$ 3,47 bilhões na aquisição de 99,92% das debêntures lançadas.

A data do lançamento das debêntures ainda não foi definida, mas o prazo para a sua conversão em ações deve chegar a cinco anos. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, uma fonte do BNDES disse que o banco pretende contribuir para elevar três grupos frigoríficos nacionais ao topo do ranking mundial, ficando entre as sete ou oito maiores companhias. Além de JBS e Marfrig, a terceira aposta é a Brasil Foods, resultado da fusão entre Sadia e Perdigão.

O movimento do BNDES é avaliado como contraditório por Péricles Salazar, presidente da Abrafrigo, Associação Brasileira de Frigoríficos . "Recentemente, o frigorífico Frialto se dirigiu ao banco com pedido de recuperação judicial e a informação que obteve é de que os recursos para o setor estavam esgotados". Ele alega que a entidade não é contrária ao apoio dado ao Marfrig, mas defende um maior apoio do banco aos pequenos e médios do setor. "Se o BNDES pode apoiar o grupo Marfrig, por que também não pode apoiar outros que apresentam garantias reais?", questiona.

(Portal DBO-SP)



Voltar