Menu Interno


Fusão cria 5ª maior varejista da construção


Casa Show e TendTudo se unem com plano de abrir capital; negócio mostra que onda de fusões chega ao setor

Nova empresa começa com faturamento anual de R$ 500 milhões, com participação societária de 50% para cada grupo

ELVIRA LOBATO
DO RIO

A onda das fusões chegou ao setor varejista de material de construção, tradicionalmente atendido por pequenos lojistas.
A Casa Show -principal rede do ramo no Estado do Rio de Janeiro- juntou-se ao grupo goiano TendTudo.
A empresa resultante da fusão vai se chamar BR Home Centers e será a quinta no ranking, segundo Jacinto Lúcio Borges, presidente da TendTudo.
A nova empresa começa com faturamento anual de R$ 500 milhões, sendo R$ 300 milhões da TendTudo e R$ 200 milhões da Casa Show.
O negócio foi confirmado à Folha por Borges, que vai presidir a nova empresa. Segundo ele, cada grupo terá 50% de participação societária na BR Home Centers.
As duas empresas funcionam com sistema de autoatendimento, em que os produtos ficam expostos nas gôndolas, e acreditam que essa é uma tendência crescente no mercado de material de construção.
Segundo Borges, o autoatendimento representa menos de 10% das vendas no Brasil, mas as projeções são que chegue a 30%, próximo do patamar europeu, que é de 35%.
"O motivo da fusão é juntar forças para expandir a rede para outros Estados", afirmou o executivo.
A abertura de capital, com lançamento de ações em Bolsa, está nos planos de médio prazo da nova empresa.
A TendTudo é uma empresa familiar goiana, enquanto a Casa Show pertence ao fundo de investimentos Leblon Equity -administrado pela Investidor Profissional, do Rio de Janeiro- e ao grupo Sendas.
A gestão da nova companhia, segundo o executivo, ficará unicamente a cargo da equipe profissional da TendTudo.
As duas empresas têm o mesmo número de lojas (nove cada uma), mas a Casa Show está concentrada no Estado do Rio de Janeiro, enquanto sua sócia tem lojas em Recife, em Salvador, em Fortaleza, em Goiânia, em Brasília, em Feira de Santana (Bahia) e em São José do Rio Preto (São Paulo).

CONCENTRAÇÃO
Segundo levantamento feito pela Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), existem 138 mil lojas de venda de material de construção no país.
O mercado é alimentado, principalmente, por reformas, construção e ampliações geridas pelas próprias famílias.
A maior empresa "home center" do Brasil é a C&C, Casa e Construção, pertencente ao banco Alfa, de capital nacional.
Entre os grandes estão os grupos franceses Leroy Merlin e Telha Norte (subsidiária da Saint-Gobain).

(Jornal Folha de S.Paulo-SP)



Voltar