Menu Interno


Nova era? Ronaldinho na mira da Parmalat


Empresa deseja craque com aceitação nacional de olho na Copa do Mundo de 2014. Agora vai?

O Palmeiras já ganhou Felipão e agora aguarda por Ronaldinho Gaúcho. A Parmalat considera estratégico bancar outras "sumidades da bola", dado o retorno de mídia nos quatro anos que antecedem a Copa do Mundo no Brasil.

- Estamos dispostos a investir mais, pois o esporte está vinculado ao consumo e à saúde. Craques como Ronaldinho Gaúcho transcendem uma paixão clubística e casam muito bem com os nossos ideais - ponderou o presidente da companhia, Fernando Falco.

A Parmalat financiou um dos períodos mais virtuosos do clube (1992-2000). E volta justamente quando a relação com a Traffic soa estremecida com o Alviverde.

DE PRIMA Por Ronaldinho Gaúcho, Palmeiras ataca Flamengo

A empresa topa uma composição financeira pelo meia do Milan (ITA). Mas por ora nega a oferta de R$ 1,3 milhão de salários mensais e um contrato de quatro anos.

- Não estamos negociando, mas podemos participar. Vocês viram como foi interessante a ação da Seara? Já pensou ter um Ganso agora? Um Kaká, um Ronaldo ou um Roberto Carlos. O resultado é interessante junto ao público jovem - argumentou Falco.

Presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo provocou o Flamengo, outro clube interessado em repatriar Ronaldinho Gaúcho.

- Nós já ganhamos três deles (risos). Mas nossa prioridade é Valdivia. E Tinga pode exercer a função de Cleiton Xavier. Na verdade, eu não gostaria de falar sobre esse assunto - disse Belluzzo, em menção às contratações de Kleber, Felipão e a ainda não fechada do Mago chileno, que estiveram na pauta do Rubro-Negro nesta temporada.

Empresário e irmão do jogador, Roberto Assis Moreira diz que Ronaldinho pretende cumprir o atual vínculo com o Milan (ITA).

- Não temos a postura de negociar quando há um contrato vigente. Que procurem o clube - desconversou.

(Jornal Lance! - SP)



Voltar