Menu Interno


MS: entidades reúnem-se com frigoríficos para discutir medidas de fiscalização da carne


Aconteceu ontem (12), na Casa Rural, reunião da Comissão de Bovinocultura de Corte da Famasul com a Superintendência Federal de Agricultura (SFA/MS), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur) e representantes dos frigoríficos Marfrig e JBS. O assunto discutido foi a recente interrupção das exportações de carnes bovinas brasileiras para os EUA, após e possíveis medidas de fiscalização do produto.

Ficou acertado como obrigatório o uso da carta de garantia pelos produtores para comprovar que não foram usados de maneira incorreta medicamentos durante o tratamento da carne. Como a resposta as solicitações feitas na reunião passada, realizada no dia 5 de julho, o presidente de Comissão Pecuária de Corte da Famasul, José Lemos Monteiro, apresentou uma lista de solicitação para os representantes dos frigoríficos, entre as quais está a possibilidade de haver contraprova à disposição do produtor; que as penalidades judiciárias de 1ª e 2ª instância tenham caráter educativo; que o prazo de carência não se estenda além de 150 dias, tempo necessário para que a ivermectina não esteja mais presente na carne.

A interrupção da exportação foi uma medida tomada pelo próprio Mapa, depois que um lote de origem do frigorífico JBS teve sua entrada impedida nos Estados Unidos da América, em maio. As autoridades afirmaram que as carnes apresentavam em sua composição vermífugo ivermectina acima do limite permitido por lei. A suspensão é temporária até que as discussões sobre os cuidados que objetivam uma padronização das medidas ligadas ao trato da carne desde seu abate até o comércio estejam encerradas.

(Portal Pagina Rural)



Voltar