Menu Interno


Vale lidera recomendações e Petrobras cede espaço para papéis de OGX e Itaú.


As duas ações mais populares negociadas na BM&FBovespa - das empresas Vale Petrobras - figuram novamente entre as principais apostas das corretoras de valores para julho. No entanto, enquanto os papéis preferenciais classe A da mineradora (VALES) lideraram as recomendações, os preferenciais da petrolífera (PETR4) perdem espaço para os de outras companhias. Caso das ações preferenciais do Itaú Unibanco ( ITUB4)e das ordinárias da OGX Petróleo e Gás (OGXP3).

A corretora Link, por exemplo, trocou os papéis da Petrobras pelos da empresa de Eike Batista. "OGX ainda está sustentando os 100% de sucesso da campanha de exploração de 2009", destacam Carlos Firetti e Dalton Gardimam, da Bradesco Corretora. "Reforçamos nossa visão de que 2010 deve ser o ano em que o caso de investimentos da OGX se materializará." A corretora XP Investimentos, que desde o começo do ano reforça a presença dos papéis da empresa nas recomendações, admite, porém, que tais ações podem sofrer com a volatilidade dos mercados no curto prazo. "Mas queremos estar no setor de petróleo e hoje o nossa opção é pela OGX", diz a analista da XP, Laura Bartelle.

No caso das ações do Itaú Unibanco, as apostas partem das expectativas para o crédito. "Acreditamos que os investidores devem começar a precificar o cenário bancário favorável, incluindo crescimento de 20% do crédito em 2010, com custos declinantes enquanto a qualidade dos ativos é crescente, além da alta as Selic", afirmam os analistas do BTG Pactual Carlos Sequeira e Antonio Junqueira. A escolha do Itaú como principal recomendação entre os grandes bancos está no fato de os papéis estarem sendo negociados com apenas um pequeno prêmio ante outros bancos privados, como o Bradesco.

Opções definitivas.
Diante da turbulência durante o mês de junho, corretoras - como a do HSBC - optaram por reduzir a exposição a setores cíclicos, priorizando empresas centradas no cenário doméstico.

"Elevamos a participação de setores um pouco mais defensivos e voltados para o mercado interno, por acreditarmos na manutenção da volatilidade dos mercados internacionais no curto prazo", ressaltam Carlos Nunes e Débora Agonilha,do HSBC Global Research. Razão pela qual papéis como os preferenciais das Lojas Americanas (LAME4) e os ordinários da Tractebel (TBLE3) entraram nas recomendações. Por trás da sugestão da Tractebel está o fato de a empresa ser a que tem maior exposição ao segmento industrial, em que a elevação dos preços deve trazer benefícios. Já em Lojas Americanas, o raciocínio envolve o crescimento rápido da empresa, além do programa de abertura de novas lojas em 2010.

Também no segmento de varejo, os papéis preferenciais classe A do pão de Açúcar (PCAR5) ganharam indicações. "Acreditamos que a ação irá desfrutar de um fluxo favorável de noticias assim que novas informações sobre a compra da Casas Bahia e sinergias se tornarem disponíveis, possivelmente nas próximas semanas", diz Cida Souza, da Itaú Securities. Apesar das perspectivas positivas para o consumo no país, os papéis do Pão de Açúcar ficaram atrasados e ainda oferecem potencial de alta de 20% no ano.

(Jornal Valor Econômico)



Voltar