Menu Interno


Marfrig tem forte crescimento de 65% na Receita e 107% no EBITDA, integra Keystone e SEARA e obtém ganhos de market share no Brasil


SÃO PAULO, Brasil - 31 de Março de 2011 - A Marfrig Alimentos S.A. (BOVESPA: MRFG3 e NYSE (ADR Nível 1): MRTTY), companhia global de alimentos, reporta hoje seus resultados para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2010, estabelecendo as bases para uma lucratividade sustentável de médio e longo prazos.

Ganhos de market share no Brasil acelerados no quarto trimestre; sinergias de aquisição e de distribuição da SEARA; novas oportunidades com a Keystone e a habilidade em transferir os aumentos de preços através seus canais de distribuição contribuíram para que a companhia neutralizasse o aumento dos preços de grãos e de gado, o efeito na receita causado pela valorização cambial do Real em relação a 2009 e o ambiente desafiador na Argentina e no Uruguai.

Destaques Financeiros, Operacionais e Estratégicos

As informações financeiras e operacionais, a não ser que indicado de outra forma, estão apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS), devendo ser analisadas em conjunto as informações trimestrais relativas ao quarto trimestre de 2010 e o período de doze meses findo em 31 de Dezembro de 2010, submetidas à CVM.

DESTAQUES 2010

  • A receita bruta consolidada cresceu 14,2% em uma base pro - forma  de R$18,1 bilhões em 2009 para R$20,6 bilhões em 2010 (pro forma), devido principalmente a fortes e rápidos ganhos no segmento de Bovinos - Brasil e vendas maiores no mercado doméstico e exportações da Seara;
  • A receita líquida consolidada alcançou R$15,9 bilhões, um aumento de 65,0% em relação aos R$9,6 bilhões em 2009;
  • O EBITDA consolidado pro - forma alcançou R$1,7 bilhão em 2010, um crescimento de 127,4% em relação aos R$765,4 milhões em 2009. A margem EBITDA também aumentou de 4,5% em 2009 para 8,9% em 2010;
  • O EBITDA consolidado atingiu R$1,5 bilhão em 2010, 107,2% acima dos R$725,0 milhões em 2009. A margem EBITDA evoluiu de 7,5% para 9,5% no ano;
  • Recorde de resultados na produção de bovinos no Brasil, com aumento de 69,2%, de 1,57 milhões para 2,65 milhões de cabeças. A produção de frango no Brasil e na Europa aumentou em 96,5%, de 426,7 milhões para 838,5 milhões, enquanto o total de suínos cresceu 164,4%, de 992,7 mil para 2,6 milhões. A produção de perus teve forte crescimento de 181,0%, de 2,13 milhões para 5,99 milhões. A Marfrig tornou-se a segunda maior exportadora de frango e suínos do Brasil, de acordo com a SECEX. No Brasil, a Marfrig também tornou-se a segunda maior provedora de produtos elaborados e processados de suínos e de produtos derivados de aves.

DESTAQUES 4T10

  • Receita Operacional Líquida do 4T10 de R$5,3 bilhões, 104,8 acima dos R$2,6 bilhões no 4T09;
  • Margem bruta de 15,5% no 4T10, comparada a 12,0% no 4T09;
  • Crescimento de EBITDA de 283,6%, de R$149,4 milhões no 4T09 para R$572,9 milhões no 4T10;
  • Aumento de 155 pb na Margem EBITDA ajustada, de 6,5% para 8,0%;
  • Margem EBITDA de 10,8% no 4T10, em comparação a 5,8% no 4T09;
  • Aquisição da Keystone Foods, que consolidou a Marfrig como uma companhia global de alimentos, com uma bem estruturada plataforma de grande capilaridade para a distribuição de alimentos, inclusive, dos produtos fabricados na América do Sul.

"A aquisição da Keystone e da SEARA fizeram da Marfrig uma das maiores processadoras globais de alimentos, com operações em 22 países e em cinco continentes, fornecendo alimentos e couro a milhões de consumidores todos os anos," disse o Presidente do Conselho e CEO da Marfrig, Marcos Antonio Molina dos Santos. "Em 2010, trabalhamos muito para fortalecer nossa plataforma global, aumentar o faturamento e construir valor com o cliente, apesar dos preços desafiadores de commodities e dificuldade global de condições macroeconômicas. Nosso objetivo para 2011 é continuar a entregar resultados operacionais, enquanto capturamos significativas oportunidades de crescimento existentes dentro da cadeia de suprimentos da Marfrig. Isto inclui o lançamento de novos produtos da SEARA no Brasil, Argentina, Uruguai e Europa, enquanto encontramos oportunidades de redução de custos, otimizando nosso perfil de dívida e criando valor para nossos acionistas em 2011".

DESTAQUES FINANCEIROS

A receita líquida pro-forma atingiu R$19,5 bilhões em 2010, 13,4% acima do ano anterior. No acumulado do ano de 2010, a Marfrig reportou receita líquida de R$15,9 bilhões, um crescimento de 65,0% se comparado aos R$9,6 bilhões em 2009.

No acumulado do ano, a margem bruta atingiu 16,4%, 335pbs mais do que em 2009, quando a margem foi de 13,0%. A expansão de margem é explicada pelo aumento de utilização de capacidade na divisão de Bovinos Brasil, melhora nas operações da Europa e gradual aumento de vendas globais de produtos elaborados e processados, os quais possuem maiores margens. As despesas operacionais em 2010 totalizaram R$2,0 bilhões, comparadas a R$931,2 milhões em 2009. O crescimento de despesas operacionais deveu-se ao crescimento da companhia por meio de aquisições e custos de vendas e marketing, utilizados para fortalecer a marca SEARA no Brasil e no exterior, além de custos associados com as aquisições da Keystone Foods e SEARA.

O EBITDA pro-forma para o acumulado do ano de 2010 foi R$1,7 bilhão, comparado a R$765,4 milhões em 2009. Em 2010, a margem EBITDA pro - forma foi de 8,9%, 448pb acima dos 4,5% atingidos em 2009. A maior utilização das capacidades produtivas na operação Brasil, melhorias no setor de vendas para food service, o aumento de exportações para clientes europeus e ganhos de sinergia das operações da SEARA, neutralizando o aumento dos custos de gado e grãos, foram os principais agentes da evolução do EBITDA e da margem EBITDA, quando comparadas a 2009. O EBITDA ajustado pro - forma de 2010, que desconsidera efeitos não-recorrentes de ajuste a IFRS, representou R$1,5 bilhão, com Margem EBITDA de 7,7%, um ganho de 387pb em comparação aos 3,8% sobre a mesma base ajustada pro - forma em 2009. Em termos reais, o EBITDA cresceu 107,2%, de R$725,0 milhões em 2009 para R$1,5 bilhão em 2010, com expansão de margem EBITDA de 193pb no período, enquanto o EBITDA Ajustado aumentou em 95,4%, um crescimento de 123pb em termos de margem EBITDA.

O lucro líquido consolidado pro - forma foi de R$259,1 milhões, ou R$0,75/ação para o exercício de 2010, representando um crescimento de 44,0% quando comparado ao lucro líquido pro - forma de R$179,9 milhões, ou R$0,52/ação para o ano de 2009. O lucro líquido da Marfrig foi impactado por uma apreciação de 11,8% do Real, o que diminuiu a conversão da receita para a moeda brasileira, além de despesas de juros devido a investimentos em capital de giro, despesas financeiras de serviço de dívida e recentes aquisições da SEARA e Keystone Foods no exercício de 2010. O lucro líquido no 4T10 foi de R$62,2 milhões, 41,3% acima dos R$44,1 milhões atingidos no 4T09.

Em 31 de Dezembro de 2010, o Caixa e as Aplicações Financeiras da Marfrig totalizaram R$3,9 bilhões, comparados a R$3,0 bilhões em 31 de Dezembro de 2009. O aumento do Caixa pode ser atribuído à estratégia de estrutura de capital da Marfrig, que estabeleceu uma posição confortável de Caixa.

DESTAQUES POR SEGMENTO - 2010

Bovinos

A receita no ano para as operações de Bovinos Brasil e Internacional da Marfrig foi de R$6,9 bilhões, comparados aos R$4,6 bilhões em 2009. Para os doze meses de 2010, apesar dos maiores preços de gado e commodities, a Marfrig teve um crescimento de produção de bovinos de 32,1%, de 2,8 milhões de cabeças de gado em 2009 para 3,7 milhões em 2010. O volume de exportação totalizou 173,4 mil toneladas em 2010, uma crescimento de 21,1% em relação às 143,2 mil toneladas em 2009. Apesar da apreciação cambial do Real brasileiro, o faturamento de exportação da Marfrig totalizou R$1,3 bilhão, o que representou um aumento de 25,4% em relação ao R$1,0 bilhão registrado em 2009. Na operação do Brasil, a produção cresceu 69,2%, para 2,7 milhões de cabeças de gado em 2010, comparadas a 1,6 milhão em 2009. O aumento na demanda do consumo dos produtos bovinos da Marfrig por consumidores domésticos, além da retomada gradual das exportações elevou este crescimento. No Brasil, a capacidade média de utilização totalizou 65% no ano.

A produção nas operações da Marfrig na Argentina totalizou 570 mil cabeças de gado em 2010, representando um declínio de 18,5% em comparação a 699 mil cabeças em 2009. Preços de gado elevados, controle doméstico de preços e restrição às exportações foram os principais desafios do ano fiscal. A utilização média da capacidade foi de aproximadamente 60% no ano.

As operações no Uruguai experimentaram baixa disponibilidade de gado para produção e preços crescentes, resultando em 504 mil cabeças de gado produzidas no acumulado do ano de 2010. Isto representou 9,2% de declínio em relação às 554 mil cabeças de gado em 2009. Como resultado, a utilização média da capacidade foi de 50% para as operações do Uruguai.

A produção total de ovinos reduziu-se em 23%, de 423 mil animais em 2009 para 326 mil em 2010.

Aves e Suínos

A receita acumulada de 2010 para as operações de Aves e Suínos da Marfrig foi de R$9,0 bilhões, acima dos R$5,0 bilhões em 2009. Em 2010, a Marfrig expandiu a produção total de frango em 96,5%, para 838 milhões de cabeças, contra 427 milhões em 2009. A produção da operação brasileira (Seara) cresceu 146,1%, de 264 milhões de aves em 2009 para 649 milhões em 2010.

Esta expansão deveu-se primordialmente à aquisição da SEARA, bem como a melhorias em logística e eficiência na entrega, distribuição e armazenagem, o que também permitiu à SEARA ganhos de market share no mercado doméstico. As operações de frango na Europa aumentaram 16,2%, de 162,9 milhões de aves em 2009 para 189,2 milhões em 2010, seguindo o aumento do consumo de frango no Reino Unido.

A produção total de suínos da Marfrig aumentou 164%, de 992,7 mil animais em 2009 para 2,62 milhões em 2010. A consolidação da SEARA faz da Marfrig o segundo maior player em produtos derivados de suínos, aves e outras carnes elaboradas no mercado doméstico brasileiro.

KEYSTONE FOODS

Keystone atua na produção de carnes elaboradas e processadas (frango, carne bovina, suína e peixe) e conta com uma plataforma global de distribuição para restaurantes, principalmente para o McDonald's e franquias. A Companhia opera 54 unidades em 13 países, incluindo os EUA, Reino Unido, França, Austrália, Nova Zelândia, Oriente Médio (Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Bahrein, Qatar e Omã) e Ásia (China, Malásia, Tailândia e Coréia do Sul).

A Keystone iniciou sua relação com o McDonald´s quando desenvolveu uma tecnologia para congelamento criogênico de hambúrgueres. Desde a década de 70 a Keystone é reconhecida pelo Mcdonald's por sua inovação, confiabilidade, segurança alimentar e qualidade, e por todo o segmento de restaurantes de serviço rápido e alimentos processados. A Companhia também atende a outros restaurantes e redes de serviço rápido.

Em 2010, Keystone USA produziu aproximadamente 725,8 mil toneladas de produtos de frango, 118,5 mil toneladas de carne bovina e 9,3 mil toneladas de peixes. Além disso, processou mais de 187,9 milhões de frangos. Durante o ano, a Keystone também entregou 200 milhões de "cases" para seus clientes no mundo. Nos EUA, a Companhia atende mais de 31,6 mil restaurantes através de seus 4 centros de distribuição.

A Keystone Foods foi adquirida pelo Grupo Marfrig em Outubro de 2010. Com base nesta troca de controle e dada a obrigação de apresentar os resultados financeiros no Brasil de acordo com as Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS), a Marfrig realizou ajustes de conversão no modelo contábil de sua nova controlada, a Keystone.

Um dos resultados desta conversão foi a mudança da apresentação da receita de distribuição para a Keystone Foods. Conceitualmente, a Marfrig pretende mostrar a essência do segmento de distribuição, ao invés do formato anterior adotado pela Keystone para contabilização da receita.

O management da Marfrig acredita que, de acordo com o IFRS (IAS 18), a Keystone Foods é primordialmente um agente do segmento de distribuição, especialmente devido aos aspectos de controle de riscos e preços. De acordo com esta classificação, a receita advém apenas da remuneração efetiva recebida de seus clientes preferenciais para realização do serviço de distribuição e não do valor da venda dos produtos transportados pela companhia.

PRIORIDADES PARA 2011

O management da Marfrig espera que 2011 traga desafios similares a 2010 em termos de aumento de preços de commodities e instabilidades macroeconômicas e geopolíticas. A diversificação global da Companhia, porém, posicionou-a de maneira a alavancar operacionalmente o processo de captura de sinergias em diferentes áreas:

  • Para o Brasil, o plano é manter o lançamento de novos produtos e aumentar nossa penetração de mercado, enquanto esperamos atingir ganhos adicionais aos R$55,3 milhões em sinergias atingidos na Seara em 2010 e confirmar a previsão fornecida no início de 2010 para o período 2010-2011;
  • No Uruguai, esperamos uma melhoria gradual em preços e margens, retornando-se aos níveis de anos anteriores, após um ano desafiador. Espera-se ver, na Argentina, um aumento da demanda por produtos da SEARA, enquanto mantém o foco em exportação de produtos com maior valor agregado;
  • Keystone Foods, que fornece uma combinação de serviços de logística e produção de alimentos processados para seus clientes, deverá contribuir para o crescimento de vendas de alimentos elaborados e processados e para a melhora da distribuição logística, ajudando a criar margens sustentáveis no longo prazo;
  • A Marfrig está focada em entregar resultados operacionais, capturando sinergias de suas unidades de negócio recentemente adquiridas.


"Acreditamos que nossa estratégia de diversificação geográfica, sustentada por uma plataforma global de distribuição, aumente nossa participação em produtos elaborados e processados e nos permita construir um crescimento sustentável do lucro no médio a longo prazo", diz o Sr. Molina. "Nosso objetivo é entregar resultados operacionais enquanto desalavancamos nossa dívida com crescimento de EBITDA. Ao mesmo tempo, planejamos aumentar o controle de nossas necessidades de capital de giro, enquanto continuamos com o crescimento orgânico do negócio e geração de valor para todos os nossos stakeholders em 2011".

Sobre a Marfrig

A Marfrig Alimentos SA é uma das maiores empresas globais de alimentos a base de carnes bovina, suína, de aves e peixes. A base operacional diversificada do grupo inclui 151 unidades produtivas,  comerciais e de distribuição em 22 países e em cinco continentes. Considerada uma das companhias brasileiras de alimentos mais internacionalizadas e diversificadas, seus produtos estão presentes em 150 países. Considerada a Melhor Empresa do Agronegócio no Brasil pela revista Exame em 2010, a Marfrig é o maior produtor de ovinos na América do Sul, além de a maior companhia de carnes na Argentina, o maior produtor de aves no Reino Unido e a maior companhia privada no Uruguai e na Irlanda do Norte.

Esta apresentação pode conter afirmações que sejam expectativas futuras dentro do disposto na Seção 27A da Securities Act de 1933 e Seção 21E da Securities Exchange Act de 1934. Estas expectativas são meramente projeções e não garantias de desempenho futuro. Os investidores estão avisados de que qualquer expectativa futura é e será, conforme o caso, sujeita a muitos riscos, incertezas e fatores relacionados às operações e ao ambiente de negócios da Marfrig e suas subsidiárias, podendo levar os resultados das companhias a serem materialmente diferentes de qualquer perspectiva futura expressa ou implicada em tais expectativas futuras.

Este material é publicado somente com propósito de informação e não deve ser entendido como uma solicitação ou oferta para compra ou venda de quaisquer valores mobiliários ou instrumentos financeiros relacionados, não devendo ser tratado como aconselhamento de investimento. Este material não foca em nenhum objetivo específico de investimento, situação financeira ou necessidade particular de qualquer receptor. Nenhuma representação ou garantia, expressa ou implicada, é fornecida em relação à veracidade, amplitude ou confiabilidade das informações aqui contidas. Este material não deve ser considerado pelos receptores como um substituto ao exercício de seu próprio julgamento.

1 Proforma: Considerando-se SEARA e Keystone para os anos de 2009 e 2010.




Voltar