Menu Interno


Programa Fomento Ovinos é destaque do Grupo Marfrig na Feinco 2011


Orientações técnicas para os produtores e seleção genética visando qualidade e produtividade são os pilares do Programa Fomento Ovinos da Marfrig, que serão apresentados com destaque na VIII Feira Internacional de Caprinos e Ovinos (Feinco), a ser realizada entre os dias 21 e 25 de março, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.
A ovinocultura é uma atividade com grandes perspectivas e possibilidades de expansão no Brasil, uma vez que a demanda por carne de cordeiros com qualidade e garantia de origem vem crescendo. Neste cenário, a Marfrig encontra-se posicionada como a maior fornecedora de carne congelada de cordeiro no país.
O objetivo da companhia é ter a melhor carne de cordeiro do País. Para tanto, os investimentos envolvem genética de ponta, saúde, nutrição e manejo adequado nos sistemas de produção, apoiados por equipe técnica que oferece o suporte necessário para os produtores, buscando o aumento da eficiência.
"O aumento da demanda e a maior exigência do consumidor quanto à qualidade da carne são determinantes para o investimento da companhia na criação de ovinos diferenciados, oferecendo um produto com qualidade superior ao varejo e ao setor food service", destaca Gustavo Martini, coordenador de ovinos do Grupo Marfrig.
Hoje o Programa Fomento Ovinos da Marfrig atende a produtores do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e Santa Catarina. "A Marfrig está ao lado do produtor de ovinos, conhecendo suas dificuldades e necessidades, visando adotar medidas mais eficazes para cada caso, contribuindo para seu sucesso. Parte do trabalho de incentivo à ovinocultura se baseia na seleção e melhoramento genético dos animais, procurando selecionar os mais produtivos", ressalta Martini.
A Marfrig incentiva todas as raças que produzem carne ovina de qualidade, porém indica e comercializa dois compostos: o Primera e o Highlander. As principais características do Primeira são alto ganho de peso, bom rendimento frigorífico e excelente qualidade da carcaça. Já o Highlander destaca-se pela precocidade reprodutiva, alta prolificidade, habilidade materna e produção de lã de boa qualidade.
Como incentivo aos produtores que integram o programa, a companhia paga valor diferenciado pelos cordeiros de acordo com a classificação da carcaça. "O preço pago pelo cordeiro no Brasil é o melhor do mundo, além disso, esse é um momento muito bom para os produtores, já que a tendência é aponta para o aumento do consumo dessa carne, que está se tornando cada vez mais apreciada pelos brasileiros", destaca Martini.
O consumo per capita atual dessa carne no Brasil é de 700 gramas/habitante/ano. Martini explica que caso haja aumento de 300 gramas consumidos por habitante, ou seja, passando a 1 Kg/habitante/ano, deveriam ser produzidos cerca de 4 milhões de cabeças de cordeiro a mais por ano no Brasil. "Aqui o consumo ainda é pequeno, mas a tendência é de aumento da demanda e a maior exigência por produtos de qualidade diferenciada", destaca.
A Marfrig iniciou as atividades de cordeiro no Brasil em Abril de 2009 com a inauguração da Unidade de Ovinos de Promissão (SP) com capacidade de 1.000 ovinos/dia. Além desta unidade, foram instalados em Outubro de 2009 dois confinamentos de ovinos: um em Getulina (SP), com capacidade estática de 2.500 cordeiros, e outro em Marília, em parceria com a Unimar (Universidade de Marília), com capacidade estática de 1.000 cordeiros. Em Janeiro de 2011 foi iniciado outro confinamento de ovinos com capacidade estática de 3.000 no município de Birigui (SP).
Já no Rio Grande do Sul, as operações com ovinos se iniciaram em outubro de 2009, quando a Marfrig ampliou suas atividades naquele estado com o arrendamento das unidades Mato Leitão, Alegrete e Capão do Leão I, do Mercosul, com capacidade de 3.500 animais/dia. Assim como em São Paulo, foi instalado no Rio Grande do Sul um confinamento de ovinos com capacidade estática de 6.000 animais que já esta sendo reestruturado para abrigar 20.000 animais.



Voltar