Menu Interno


Foco nas condições de abate


A missão europeia que está no Estado checou as condições do serviço veterinário prestado ao criador pelo frigorífico Mabella, vinculado ao grupo Marfrig/Seara. De acordo com a informação do técnico do Ministério da Agricultura que acompanhou ontem o grupo em Caxias do Sul, os documentos e as condições sanitárias estavam "dentro das normas". - Por se tratar de saúde pública, eles são muito rigorosos. Mas encontraram condições bastante adequadas no Estado - disse. Os inspetores auditaram as condições técnicas da inspetoria veterinária local e, à tarde, desembarcaram na planta industrial do frigorífico Mabella para checar as condições sanitárias do abate. O frigorífico, que processa cerca de 30 mil perus por dia, é um dos nove exportadores gaúchos para a UE. No ano passado, vendeu cerca de US$ 200 milhões ao bloco entre aves in natura e cortes especiais. Durante a auditoria no Mabella, os técnicos examinaram minuciosamente a documentação da empresa e checaram detalhes como a fiscalização realizada pelo Ministério da Agricultura junto às linhas de abate. Vistoria prossegue em Montenegro e Lajeado. Segundo o gerente da unidade, Rogério Rovani, o interesse dos auditores se concentrou no processo de rastreabilidade adotado pela empresa, que permite checar a localização dos animais do fornecimento aos criadores integrados, com um dia de vida, até o envio para o processamento industrial, com 150 dias de engorda. O Mabella tem cerca de 80 granjas integradas na região de Caxias do Sul. - Nossa documentação está em dia. Não há por que temer a inspeção - afirmou Rovani. A missão vai hoje a Montenegro para inspecionar a planta industrial da Doux Frangosul na cidade. Na quinta-feira, os inspetores seguem para Lajeado, onde irão vistoriam uma unidade frigorífica da Minuano e visitam o laboratório da Univates, credenciado pelo ministério para controle de nutrição animal. No final deste mês, uma missão de técnicos da União Europeia chega ao Brasil para inspeção de resíduos nas carnes exportadas ao bloco. Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína, Pedro de Camargo Neto, embora seja uma visita de rotina, esta é a primeira vez que a carne suína foi incluída na pauta que definiu o roteiro dos técnicos europeus. (Portal Ministério das Relações Interiores, 09/02/2011)

Voltar