Menu Interno


Flamengo responde e repudia 'conselhos' de Ricardo Teixeira no caso Copa União 1987


DE SÃO PAULO
O Flamengo respondeu e repudiou, através de uma nota oficial, o conselho recebido pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

Na quarta-feira, o dirigente disse que por questões judiciais a CBF não poderia considerar o Fla como campeão brasileiro de 1987, ano em que foi disputada a Copa União.

Teixeira recomenda Fla a ir à Justiça por reconhecimento de título de 1987 Unificação dos títulos nacionais representa uma vitória para João Havelange CBF amplia contrato com Seara até 2026 por mais de R$ 400 milhões e helicóptero Flamengo contrata argentino e diz que está na briga por Ronaldinho.

A entidade pretendia aproveitar o anúncio da unificação dos títulos nacionais e declarar o Flamengo campeão, juntamente com o clube pernambucano, depois de novo pedido feito pela direção da equipe carioca.

"O jurídico fez um levantamento. Houve uma decisão do STJ [Superior Tribunal de Justiça] que a CBF é obrigada a cumprir, sob pena até de prisão em caso de desobediência', declarou Teixeira, que recomendou que o Flamengo pleiteie o reconhecimento do título na Justiça comum.

"É incompreensível que o Sr. Ricardo Teixeira esteja tão empenhado, após mais de vinte anos, em cumprir uma decisão judicial, que ele não interpretou corretamente, se sempre repeliu, e com veemência, que os clubes trilhassem a via judiciária para dirimir seus conflitos esportivos, chegando a ameaçá-los com severas sanções disciplinares se o fizessem, e agora ainda sugere ao Flamengo que adote esta postura, como se precisássemos de seus conselhos", escreveu o Fla, em nota assinada pela presidente Patrícia Amorim e outros cinco dirigentes do clube.

O Flamengo ainda usa o Palmeiras como exemplo de que poderia ser declarado, em 1987, dois campeões nacionais.

"Cumpre ainda observar que o 'cesto de bondade' da CBF permitiu que se sagrassem campeões brasileiros agremiações que disputaram apenas quatro partidas em torneios sem a dimensão daquele a que concorreu o Flamengo, em 1987, que reuniu as maiores e mais poderosas equipes do Brasil, filiadas ao Clube dos Treze", complementou a nota.

Veja abaixo a íntegra da resposta do Flamengo

Em defesa de suas tradições, e pelo respeito devido à imensa nação rubro-negra, o Clube de Regatas do Flamengo sente-se no dever de tornar público o seu repúdio ao ato insustentável, jurídico e moralmente, da Confederação Brasileira de Futebol, de não reconhecer o nosso título de Campeão Brasileiro de 1987, legitimamente conquistado nos gramados, e presta os seguintes esclarecimentos.

1) Causa profunda estranheza o fato da CBF distribuir, generosamente, títulos nacionais a diversos clubes, reconhecendo torneios disputados há décadas, e não o faça, somente em relação ao Flamengo.

2) Com a decisão agora adotada reconhece a CBF que é possível admitir e declarar que dois clubes sejam campeões brasileiros, no mesmo ano, embora disputando competições diferentes e concomitantes, sendo que o Palmeiras foi considerado duas vezes campeão no mesmo período de um ano.

3) A sentença judicial, a que se apega, por interpretação equivocada, o Presidente da CBF, se limita a declarar que o Sport Clube Recife é campeão brasileiro de 1987, mas em momento algum veda que também o seja o Flamengo, em duplicidade já tantas vezes ocorrida no passado e que agora se restabelece, com a surpreendente decisão da CBF.

4) Daí se conclui, sem o menor esforço, que o reconhecimento do Flamengo, como Campeão Brasileiro de 1987, em nada afrontaria a coisa julgada, que não repele tal decisão, se adotada no plano desportivo.

5) Também é incompreensível que o Sr. Ricardo Teixeira esteja tão empenhado, após mais de vinte anos, em cumprir uma decisão judicial, que ele não interpretou corretamente, se sempre repeliu, e com veemência, que os clubes trilhassem a via judiciária para dirimir seus conflitos esportivos, chegando a ameaçá-los com severas sanções disciplinares se o fizessem, e agora ainda sugere ao Flamengo que adote esta postura, como se precisássemos de seus conselhos.

6) O justo reconhecimento do Flamengo como legítimo campeão de 1987, não traduz desrespeito à decisão judicial, não se justificando o temor do Sr. Ricardo Teixeira de ser preso, e se vier a sê-lo certamente não será por esta causa.

7) Cumpre ainda observar que o 'cesto de bondade' da CBF permitiu.



Voltar