Menu Interno


Marfrig amplia número de abates no 3º trimestre do ano.


O grupo Marfrig anunciou prejuízo de R$ 30 milhões de reais no terceiro trimestre de 2010. O resultado, segundo executivos do grupo, foi provocado pelo aumento das despesas financeiras com a aquisição da Keystone Foods, em junho deste ano. Para financiar a compra da empresa norte-americana, por US$ 1,26 bilhão, o grupo emitiu R$ 2,5 bilhões em títulos conversíveis em ações.

O aumento no volume de abates pode ter evitado um resultado ainda pior no trimestre. Investimentos em novas plantas permitiram que a empresa quase que dobrasse o numero de animais abatidos. Entre julho e setembro de 2010, foram abatidos 750,1 mil animais, resultado 95,3% superior ao alcançado no terceiro trimestre de 2009, quando 384 mil animais foram enviados para abate. Entre um trimestre e outro, o preço médio da arroba do boi subiu 8,3% no país, informou a companhia.

Com 22 abatedouros em operação, a ociosidade da companhia foi de 35%. No mesmo período do ano anterior, com 13 unidades em operação, a ociosidade chegou a 50%.

Marcos Molina, presidente da Marfrig, afirmou que programas de fomento e parcerias com pecuaristas e confinamentos garantiram a oferta de matéria-prima, permitindo que a empresa ampliasse o abate de bovinos. Atualmente, a Marfrig tem quatro confinamentos de gado bovino no Brasil.

Com o maior abate de bovinos, a participação da Marfrig no abate total do país passou de 7% no terceiro trimestre do ano passado para 14% neste trimestre passado, informou a empresa.

(Portal DBO)


Voltar