Menu Interno


Brasil tem mais apetite para compras no exterior


Cresce a participação de empresas brasileiras como compradoras no mercado internacional.
Companhias de setores como petroquímica, telecomunicações, tecnologia e infraestrutura estão realizando mais intensamente operações com empresas no exterior, segundo o JP Morgan.

O movimento, até recentemente, era mais explorado pelas indústrias associadas ao consumo.

Das operações de fusões e aquisições assessoradas pelo banco de janeiro a setembro deste ano, mais de 75% foram "cross-border", com a presença forte de empresas brasileiras na aquisição de ativos estrangeiros.
"O alto número de operações de "cross-border" deixa claro que as empresas brasileiras estão aproveitando o cenário positivo para ampliar sua base de ativos estratégicos, além dos nacionais", informa o banco.

Entre os exemplos de que o JP Morgan participou recentemente estão o caso da Marfrig Alimentos, uma das maiores produtoras brasileiras de carne bovina, que comprou a Keystone Foods, por US$ 1,26 bilhão.

Nos Estados Unidos, em fevereiro, a Braskem adquiriu, por US$ 350 milhões, a Sunoco Chemicals, tornando-se a líder nas Américas e a terceira maior do mundo em produção de polipropileno.

Faz também parte deste grupo a negociação fechada em setembro entre a 3G Capital e a rede de fast-food Burger King, a segunda maior dos EUA, com US$ 4 bilhões.

(Jornal Folha de S. Paulo, VaiVem/SP)

Voltar